Textos e resenhas literárias

30 contra todas

Nessa semana um caso me chocou. Não só a mim, mas a grande parte das pessoas a minha volta, principalmente minhas amigas. Uma menina de 16 anos foi estuprada por não somente um, mas 30 homens. 30. Imagina 30 homens. Agora imagina 30 homens te dopando, rindo da sua cara, invadindo seu corpo e filmando pra todo mundo ver, certamente por ter a certeza da impunidade.

A pergunta é: de onde veio essa certeza da impunidade? Deixa eu contar pra você.
Vivemos em uma sociedade extremamente machista e patriarcal. Vivemos em uma sociedade que é pautada na relação de submissão da mulher perante ao homem. Onde corpos femininos são comparados a cerveja, é só você pegar e pronto. É tão gostoso quanto. Não valemos nada.
Muita gente se indignou? Sim, muita gente. Mas também teve gente apontando o dedo e querendo justificar esse ato horroroso. “Mas ela frequentava baile funk e usava drogas.” “Mas ela não era virgem.” “Se estivesse em casa ou na igreja não era estuprada.” FODA-SE. O ser humano – pasmem, mulheres também são seres humanos – é livre pra beber, dançar, transar, fazer o que ele quiser SE quiser, desde que isso não afete ninguém. Então quer dizer que nós mulheres não podemos mais beber, nos divertir, ou qualquer coisa do tipo que nós estaremos pedindo para ter nossos corpos violados? NÃO. A culpa dessa barbárie não é nem NUNCA será da vítima, em hipótese alguma. Até porque, esse tipo de coisa não acontece apenas em lugares de festas ou drogas. Mulheres, ou, até mesmo, meninas, são constantemente estupradas em casa, por seus próprios familiares. Ou na Igreja. Ou na rua. Ou na escola. Ou no trabalho. Ou em qualquer lugar que tenha um homem que nos veja como mero objeto, como um pedaço de carne que o pertence.
A culpa, meus amigos, é do estuprador e de toda essa sociedade que bate palma pra machismo, que diz que feminismo é mimimi, que coloca a culpa na vítima, que me pergunta se meu namorado me deixa usar short ou me deixa sair de casa sem ele. Ele não tem que deixar nada. Mulheres são seres humanos, não somos propriedades dos homens. Nossos sentimentos, dores e desejos importam.
Deixa eu fazer uma pergunta pra você que pensa assim: realmente acha que só os 30 homens foram culpados? Pois eu digo que você também foi. E vai continuar sendo se não aprender a respeitar e ter empatia pela dor alheia.
Tá, mas o que a gente pode fazer sobre isso? A gente pode e deve lutar. Lutar pela nossa voz, pelos nossos direitos.
E você, homem, que também se indignou, que tal parar de rir da piadinha do amigo sobre estupro? Que tal repreender o amigo que expõe nudes no whatsapp? Vamos?
É nessas horas que eu me orgulho e muito de não contribuir pra toda essa sujeira. Eu não me importo e não me arrependo de ser chamada de chata, louca, feminazi ou insuportável por repreender atitudes erradas. Eu não me omiti. Eu não me omito.

Comments Closed

11 Comentários
  1. Diélen Silva Diz

    Um dos posts mais verdadeiros que já li, se não for o mais verdadeiro.
    Onde esta sociedade vai parar? Onde as pessoas vão parar? Homens considerados criaturas "racionais" fazerem algo deste tipo? Uma monstruosidade desta? Não dá para aceitar mais situações como esta. Nunca mais.

    https://dielensilva.blogspot.com.br/

  2. Victória Gabriela Diz

    Contras todas mesmo! Esse país fica cada vez pior onde não existe justiça. São 30 monstros disfarçados de "homens"

    http://www.antesdaprimavera.com.br

  3. Bruna Frotté Diz

    não mesmo!
    beijos

  4. Bruna Frotté Diz

    sim!!
    beijoss

  5. vamospalpitar Diz

    Até quando vamos sair com medo de ter nosso corpo invadido? até quando vamos ter que aguentar pessoas falando "se tivesse na igreja isso não tinha acontecido", "se tivesse em casa nada disso teria acontecido", até quando?! O fato da menina não estar em casa não justifica o ato do "homem" ter feito o que fez. 30 monstros chamados de homens, meu sentimento é de nojo em relação a eles.

  6. Keyla Franco Diz

    O mais triste e saber que mesmo com tudo isso, todos os dias somos obrigadas a ouvir piadinhas de mal gosto em ambiente de trabalhos e etc… e ainda somos taxadas de chatas e bla bla

  7. Bruna Frotté Diz

    sim! temos que lutar pra isso acabar!
    beijos

  8. Bruna Frotté Diz

    sim, é péssimo

  9. SEM QUASES Diz

    Bru, antes de qualquer coisa, uma observação: não tinha lido ainda que seus vícios são tão semelhantes aos meus! Louca por Grey's Anatomy e pelas poesias da Taylor. Surtei! Dá abraço?

    Mas tratando do escrito em si, que é FUNDAMENTAL, o problema na nossa sociedade está no machismo, nessa cultura deturpada de diminuição e, ademais, nessas inversões de papéis de culpa que diminui a força e grandeza dos leais, dos emotivos, dos entregues e torna os papéis dos reais culpados como os fortes, os que não devem sentir vergonha, os que não precisam abaixar a cabeça e chorar pelo que fizeram. Deixo aqui um poema que aborda, ironicamente, a temática:

    OS CULPADOS – Vanessa Brunt

    O estuprado que sente vergonha
    E quem foi traído que ganha apelido
    O cafajeste falando da fronha
    E a namorada chorando escondido.
    Quem não teve princípios, só teve um deslize
    Quem pediu por respeito, é dramático em crise
    Quem jurou de mentira, acusa o momento
    Quem jurou de verdade, é o burro elemento
    Quem saiu para a balada, sem o marido
    Está curtindo a liberdade, é certo e sabido
    Quem reclamou da saída – sem motivo e não dita
    É doido, ciumento, uma mula maldita!
    Quem ficou em casa fazendo o jantar
    É o burro, coitado, a mulher foi caçar.
    O gordo julgado, caçoado, olha lá!
    Deve se sentir humilhado e chorar
    E o grupo de gente que o aborreceu
    Tem vergonha de quê? Já passou… Não doeu.
    O filho que xinga a mãe, está lutando pelos direitos
    A mãe que xinga o filho está educando
    A professora que berra é a que quer respeito
    Quem pede limites está abusando.
    Quem fingiu, foi espertinho
    Quem pediu a verdade, tem que ir atrás
    O moço foi ferido por culpa dele!
    A moça foi enganada porque quis demais.
    Meu amigo é corno porque é lerdo
    A ex esperta dele tá vivendo bem
    Ninguém repete fala para quem errou
    Depois de um mês esqueceram, amém.
    Não quero perder amigos
    Então eu vou…
    Dizer que aquilo foi besteira também.
    Traíram a minha confiança, vou ser o idiota!
    Ai meu Deus, não diga para ninguém.
    A mulher que beijou o cara, achando que era solteiro
    É a puta que atrapalhou o casal.
    O rapaz que não aguentou ir no banheiro
    É tolo, mesmo passando mal.
    A menina que cortou os pulsos é louca
    Quem maltratou ela, só estava sendo infantil
    Foi uma fase, passou, deixa lá…
    Que retardada aquela para quem ele mentiu.

    Adorei cada vírgula sua que tanto ratifica as noções, aglomerando alertas. Contanto que não firamos ninguém, somos de nós e fazemos o que quisermos. Nada disso nos culpa perante nada que nos fira.

    SEMQUASES.COM

  10. Bruna Frotté Diz

    Ai, meu Deus!!! Greys anatomy é vida, né? Taylor entao, nem se fala <3
    que poema maravilhoso! amei, muito!
    Beijoss

  11. Bárbara Nassar Diz

    Um dos melhores textos que eu li sobre o assunto. Eu ficava em choque com os comentários que eu lia no facebook, pessoas dizendo "é mas ela namorava um traficante…". Realmente nada justifica. Eu falava, que poderia ser qualquer um de nós, e as pessoas "não, você vive uma realidade diferente, isso não acontece". Como se ela tivesse pedido pra isso acontecer, sei la, eu fiquei em choque e vi que a coisa está muito feia.

    Beijos, Love is Colorful

Comentários estão fechados.