Abri meus olhos. Olhei para o lado e, para o meu alívio, você ainda estava ali. Ufa! O que seria do meu domingo sem você pra me fazer cosquinhas, pra me falar o quanto você não suporta assistir àquela comédia romântica clichê ou até mesmo só para eu te olhar e ficar imaginando as razões de eu te amar tanto e nem em um segundo sequer conseguir verbalizar os porquês?

Na verdade, eu não sei explicar direito nós dois. Não sei explicar a partir de que momento o seu cheiro já tinha se impregnado em mim, mesmo quando você não estava perto, a partir de que momento só o que eu queria era o seu peito, a partir de que momento você se tornou muito do que eu desejava para o “para sempre”… Eu não sei.
Não sei se foi quando te vi tocando Leoni no violão, com algumas pestanas desencaixadas e num tom meio esquisito, é verdade; não sei se foi no dia que você cuidou de mim quando eu tomei o remédio errado e fiz o meu drama costumeiro ao pensar que iria morrer por ter trocado o remédio de dor de cabeça pelo de gastrite; não sei se foi quando sentamos em uma das pedras do Arpoador e discutimos durante horas o significado de nossas existências, sob as mais lindas estrelas que eu já vi (ou fantasiei) em uma cidade cheia de luzes artificiais, ignorando a presença de qualquer outro alguém…

Porque pra mim é assim, só você. Não que você tenha sido a salvação dos meus dias enfadonhos de solidão, não que você seja o que eu sempre sonhei desde os 15 anos de idade, não que você seja a resposta de todas as minhas perguntas. Você é bem mais complexo. Pela primeira vez em alguns anos de vida e de relacionamentos não tão bem sucedidos, eu vejo que a vida já nos presenteou com uma das mais indescritíveis sensações. Posso, então, bem baixinho no seu ouvido descrevê-la: Amor, eu te amo tanto e com tanta intensidade que chega a dor; e eu te amo tanto e tão devagarzinho que sei que vai durar.

Você é o meu ponto de equilíbrio e a minha desarmonia, meu silencioso grito ensurdecedor, é a minha rotina mais irreal. Tira de mim toda a racionalidade, transformando tudo em simples resumos de você… Cada música é pra você, cada texto é seu, cada pensamento é só em você. Você me traz o mundo, coisas que nunca vi ou vivi ou somente as mais simples perspectivas, agora novas, de um mesmo antigo ponto. Coloca-me no chão e me dá raiz, contigo estou segura para enfrentar o desconhecido e, ao mesmo tempo, leve para voar até onde os sonhos alcançarem, pois você acredita em mim. Traz o que é real, traz o que é visceral. Sentimento até cada entranha.

Então viro para o outro lado, amor, fecho meus olhos e torço pra um dia você chegar…

Comments Closed

2 COMENTÁRIOS

Comments are closed.