Um pouco de tinta amarela traz felicidade

Já estava nascendo em mim outro sentimento desconhecido. É interessante. Escutava-se no silêncio uma essência abstrata. Era a de minha vida se partindo para uma nova transformação. Quem sabe, superação. Aquela dor que eu sentia, de fato, parecia algo inatingível. Eu sei que, às vezes, existe uma coisa ausente dentro de nós.
Sei que medos contemporâneos sempre vão existir, e tudo isso me remete ao lembrança de que o grande Van Gogh costumava digerir tinta amarela porque acreditava que traria felicidade a seu interior. Muitas pessoas são assim. A vida e seus 99% de chances de dar tudo errado, mas ainda tem aquele 1% de expectativa e esperança que nos faz forte.
Eu acho que todo mundo tem um pouco de tinta amarela. Eu acredito que existe a possibilidade de transformar as dores em artes. Quem aqui já não teve overdose de sentimentos demasiados, e crises de ansiedade que acabam em um rio de lágrimas?
Alguns de nós usamos meios não tão legais, a fim de que essas dores  nos façam esquecer  dos nossos problemas e nos levem para um mundo idealizado, um conto de fadas, ou até um final feliz. Um mundo colorido, onde não há sofrimento, não exista vácuo, nem muito menos pessoas que te desejam mal. Aquele imaginário onde habitem unicórnios que comem  nuvens amarelas pra trazer felicidade.
Mas, e você, qual a sua tinta amarela?
No final, somos todos como Van Gogh. “A pintura está na minha pele.” – A nossa felicidade também, acredite nisso. Não precisa ser hoje, ou amanhã, aos poucos você descobrirá e entenderá o tamanho da sua dor e o que pode fazer ela se tornar mais leve e sutil. Seus comportamentos não precisam ser criticados por uma sociedade que segue os padrões ideais de beleza, inteligência e um bom profissionalismo.
Engole o choro, menina. Você é uma artista e acredite: artistas não tomam pílulas nem drogas, eles comem tinta amarela para serem felizes. Você, sendo o que é, e procurando tornar-se uma pessoa que por enquanto  ainda não ousou ser… vai gozar dessa euforia e se despir de uma vida acinzentada. Você é a personificação da absurdez humana em tons amarelos de felicidades, e disso você jamais deve se esquecer.
(Marília Felix)

Comments Closed

Comentários estão fechados.