Eu tentei escrever sobre você. Juro que tentei. Mas parece que você não queria sair, sabe? As palavras lutaram contra mim mesma, não queriam se ver livres e abrigaram-se aqui no meu peito, junto com você. E eu deixei que ficassem, quem sabe assim eu não te sinto mais perto? Quem sabe assim, por obra do acaso ou destino você decida ficar também? E eu torço muito para que fique, não é todo dia que alguém como você aparece.

Chega uma hora que a gente cansa de sempre ouvir as mesmas conversas vazias de meia noite, com falsas expectativas que nem sempre vem para acrescentar. A gente cansa de sempre esbarrar em pessoas mornas que só molham os pés e se contentam em ser mar de almirante. Eu sempre quis me afundar sem medo em cada parte de alguém que não tem receio de ser real e você chegou mergulhando sem temer, buscando por algo que talvez já tenha cansado de procurar, só que ainda assim com sua esperança incansável você seguiu até o fundo.

Algumas chegadas não são esperadas, são arquitetadas pelo destino para te mostrar que ele sempre vai te surpreender e que não adianta jurar baixinho antes de dormir que não irá se apaixonar mais, porque ele escuta e bagunça tudo.

Comments Closed