Acordo e corro pra ver se você já me mandou mensagem, e toda vez que seu nome aparece na notificação, me dá aquele negócio no estômago que faz a gente achar que tem borboletas dentro da gente, sabe?! Se estou sentada, ou deitada sinto como se pudesse sair pulando, mas se estou em pé – seja em casa, seja na rua – eu não me seguro, e faço uma dancinha. Basta aparecer seu nome na barrinha flutuante que aparece lá em cima no celular.

Passamos mais de 12 horas nos falando, e o assunto não termina… O que termina é a “nossa bateria”. Dormir com o celular na mão? Virou rotina. Logo eu, que sempre tive problemas com rotina, não quero que isso mude, a não ser que ao invés do celular nas minhas mãos, passe a ter a sua mão entrelaçada na minha, ou a sua barba, ou qualquer parte de você.

Me pego sorrindo e andando por aí com os olhos grudados na tela do celular, me pego gargalhando sozinha, e sentindo aquele geladinho que toma conta da espinha. Me pego tendo viagens acordada, e querendo saber como você está nas suas viagens reais. Será que comeu? Será que se agasalhou? Será que não se trancou pra fora do quarto do hotel? Será que sorriu hoje, e será que eu fui o motivo?!

E lá vou eu rodopiar e sonhar… Você me dá siricuticos.

São tantos sentimentos juntos, que só encontrei em siricuticos, as melhores explicações pra “isso” tudo.
Me sinto feliz, confortável, segura… Me sinto cem por cento eu, eu posso ser totalmente eu. Sem precisar lapidar, sem precisar pensar muito no que, em como falar/agir. Só preciso ser eu.

É como aquele final de dia cansativo, que você chega em casa, arranca os sapatos, toma um banho quente e relaxante, e se joga no sofá. Se joga por inteiro, sem se preocupar com nada.

É como aquela sua cerveja preferida em que você pensou o dia todo, que você serve e bebe com toda a vontade, sem se preocupar porque sabe que não vai te fazer mal. Pelo contrário, vai fazer muito bem… Que vai relaxar seu corpo, mas, acima de tudo, vai alegrar seu espírito.

Quando você está estudando, treinando muito para conseguir fazer alguma coisa, como quando acerta aquela receita que tanto queria aprender. Ou quando consegue atingir aquela meta, ou quando acha dinheiro perdido no bolso da calça, na rua… Quando está muito calor, e cai aquela chuva deliciosa de verão que refresca até a alma. Quando recebe aquela notícia, esperada ou não, que te faz sentir como se tivesse soltando fogos dentro de você, aquela sensação gostosa de que o Universo está conspirando ao seu favor.
Todos esses siricuticos bons da vida, você me dá todos eles.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here