Foi (e ainda é) amor

Um dia desses com o coração bagunçado e conversando por aí, me disseram a seguinte frase: ”Ah, menina, deixa de ser boba! Só se ama mesmo uma vez, ele não foi seu amor da vida ou sua alma gêmea”. Passei horas pensando naquelas palavras e cheguei à algumas conclusões: discordo. Não, não só se ama uma vez, você ama todos os dias de diversas vezes e maneiras.

Por mais que a pessoa que você viveu, dividiu teto, sonho e companhia, fez parte do seu crescimento, não está mais junto de você não significa que não foi amor ou muito menos que não deu certo, porque foi amor sim, deu certo os três anos que vocês estiveram juntos.

Eu te digo: não é porque acabou que o amor deixou de existir, nada disso. Quando você olha as estrelas e lembra dele, quando come a comida que ele fazia pra vocês ou ouve a música que cantavam juntos e sente saudade é o amor gritando dentro de você pra te lembrar que ele está aí, vivíssimo, afinal, ele está por trás e dentro de tudo.

A vida às vezes muda o rumo e chega um momento que é necessário fazermos algumas escolhas, veja bem, no meu caso as escolhas que ele fez não me envolvia, e tá tudo bem, são as escolhas dele e eu não devo privá-las da única pessoa que deve ter controle sobre elas: ele. (Olha o amor ai de novo!)

Eu o admiro, torço pela sua felicidade e pra ser sincera, caro leitor, eu ainda espero que ele apareça qualquer dia desses pra bater um papo no sofá bagunçado da sala e me contar como anda a vida.

Voltando ás palavras que tal pessoa me disse: amor da vida a gente pode achar a cada esquina, isto é, se os nossos corações estiverem abertos a isso, só não significa que vá durar pra sempre, mas, continua sendo amor.

Comments Closed

Comentários estão fechados.