Como foi esquecer você

Eu achava que você nunca voltaria, de fato nunca foi de insistir tanto nas coisas, sempre deixava para lá, como se nunca tivesse começado algo. No começo eu insisti, até mais do que deveria, eu te bombardeava de mensagens de carinho, mesmo que estivesse irritado e com raiva de mim. Eu queria tanto acreditar que meu amor mudaria você, mas se alguém não quer mudar, não há nada que faça resultado. Aos poucos eu fui secando minhas lágrimas, fui entendendo meus próprios sentimentos e parei de me culpar pelo amor que eu sentia por você. Eu ainda amo você, ainda penso em você logo cedo e antes de dormir você está mais uma vez nos meus pensamentos, ainda guardo nossas fotos e fico relembrando todos os nossos momentos juntos. Eu apenas não choro mais, não me exausto mais, ou deixo de dormir pela falta que você faz, não atrapalho meu dia com os “e se” que tanto me rodeavam. Nessa longa jornada que tem sido esquecer de você aprendi a cada passo o gostinho do amor próprio e fui me enchendo desse grande amor.

Esquecer alguém que fez parte da nossa vida não é tão fácil assim, não fico mais me pressionando para tirar você da cabeça. O primeiro passo foi chorar horrores, me questionando e duvidando de tudo ao meu redor, colocar para fora tudo que deveria e quando eu finalmente me sentisse aliviada, levantaria pronta para o que fosse para acontecer.

O segundo passo foi entender que eu conseguiria sobreviver sem você, que eu conseguiria sorrir e ser feliz sem que você estivesse aqui comigo, que por mais que tivesse me feito feliz eu não poderia viver a mercê de um amor passado.

O terceiro passo foi sair de casa, dar meus primeiros passos rumo aos braços do mundo, entender que a vida tem mais para ser vivida, sair da gaiola que você tanto me prendeu, eu precisava conhecer tudo que me cercava, precisava de distrações.

O quarto passo foi compreender que antes de qualquer coisa eu deveria me conhecer, desvendar meus próprios mistérios, despir a minha alma e me surpreender com a imensidão que cabe aqui dentro de mim, eu realmente era muito mais do que você dizia.

O quinto passo foi aceitar que pessoas vem e vão na nossa vida, que o tempo passa e as coisas mudam, eu precisaria aceitar as mudanças para então enxergar a beleza que elas me trariam. O próximo passo, confesso ter sido o mais difícil, eu deveria entender que nem tudo sai como o planejado e da forma que eu gostaria, mas isso não significa que não seja um caminho cheio de coisas boas.

O último passo foi me olhar no espelho e entender que há um mundo aqui dentro de mim, que alguém será capaz de, um dia, compreender, mas que antes de qualquer pessoa, eu deveria me compreender, me julgar menos, me olhar mais, me permitir sentir, mas não deixar que nenhum sentimento ruim tome o meu ser. Antes de deixar alguém entrar na minha vida, eu precisaria me amar.

O caminho em si nos leva não ao esquecimento do amor que sentimos por alguém, mas sim para o desapego, entender que mesmo existindo amor devemos partir. O caminho não é o desamor e sim confiança e autoestima, o processo é longo, mas o que nos reserva ao final da caminhada nos faz entender o quanto vale a pena lutar por nós. Uma hora ou outra a gente deixa de amar, mas antes disso se preocupe em cuidar de você mesmo!

Bom, agora você está de volta, pedindo uma nova chance e dizendo tudo que costumava dizer, prometendo tudo que sempre prometeu, mas nunca cumpriu. Mesmo ainda amando você, me empoderei o suficiente para dizer NÃO.

Comments Closed

1 comentário
  1. Beatris Diz

    Parabéns, seus textos são maravilhosos❤ adoro ler todos

Comentários estão fechados.