Fim

 

Não acabamos nossa relação quando declaramos o fim. Quisera eu apagar tudo que ainda me remete a você apenas pelo fato de termos rompido. Restam comigo as lembranças, os costumes e a saudade.

Resta a vontade de te ligar para contar que a promoção no trabalho aconteceu, para avisar que prorrogou a data da inscrição que você perdeu, para dizer que está em cartaz o “2” do filme que amamos, para perguntar qual é mesmo o nome do mecânico que você levava meu carro, para falar que a previsão é de frio no fim de semana.

Restam as fotos que eu ainda não decidi se rasgo ou deixo na caixa no fundo do guarda-roupa. Melhor seria rasgá-las, porque temo minha reação daqui algum tempo, quando por descuido encontrá-las escondidas, e, talvez assim, voltar a pensar em você.

Restam os objetos, os presentes. Até mesmo seu cheiro ainda está aqui.

Ficou o vazio. Na casa e em mim.

Às vezes, eu insisto em colocar dois pratos na mesa. Quando me dou conta do engano, guardo os dois, porque perco o apetite.

Agora, a tampa do vaso está sempre abaixada, a luz não é mais esquecida acesa e a roupa suja está sempre no cesto.

Tem dias em que é muito bom chegar mais tarde e não dar explicações sobre o meu atraso. Tem dias que, para não ficar sozinha, saio com algumas amigas. A verdade, porém, é que sua lembrança permanece ali até eu chegar.

E, enquanto eu não preencher os espaços que você deixou, insisto em dizer que a história não acabou. Não por esperar sua volta, mas por ansiar sua saída completa de mim.

1 comentário
  1. Isis Diz

    Traduzindo os sentimentos que ficam depois do fim. Amei. 💙

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.