Textos e resenhas literárias

Resenha literária: O ar que ele respira, Brittainy C. Cherry

Sinopse: Como superar a dor de uma perda irreparável? Elizabeth está tentando seguir em frente. Depois da morte do marido e de ter passado um ano na casa da mãe, ela decide voltar a seu antigo lar e enfrentar as lembranças de seu casamento feliz com Steven. Porém, ao retornar à pequena Meadows Creek, ela se depara com um novo vizinho, Tristan Cole. Grosseiro, solitário, o olhar sempre agressivo e triste, ele parece fugir do passado. Mas Elizabeth logo descobre que, por trás do ser intratável, há um homem devastado pela morte das pessoas que mais amava. Elizabeth tenta se aproximar dele, mas Tristan tenta de todas as formas impedir que ela entre em sua vida. Em seu coração despedaçado parece não haver espaço para um novo começo. Ou talvez sim.

Ficção / Literatura Estrangeira / Romance 

Classificação: 5/5

308 páginas

O que falar desse romance tão bom, mas tão bom, que eu li em UM dia?????

Vamos lá. A história gira em torno de Tristan Cole e Elizabeth. Há uma narrativa intercalada, ou seja, podemos acompanhar a trama tanto pelo ponto de vista de Tristan como pelo de Elizabeth.

Elizabeth perdeu o marido, Steven, em um acidente. Por conta disso, mudou de cidade e foi morar com a mãe, Hannah, e a filha, Emma, por um tempo, como uma forma de fugir de todas as lembranças que sua casa trazia do marido. Um ano depois, cansada da vida agitada da mãe – que desde a morte de seu marido, quando Elizabeth ainda era uma criança, tenta esquecer sua tristeza mudando de namorado a cada semana – Liz decide voltar para sua casa junto a Emma.

De volta à sua casa, em Meadows Creek, Elizabeth logo tem um encontro inusitado com ninguém menos que Tristan Cole. Ele é o esquisito da cidade. Mal humorado, rude, grosseiro e fechado, ninguém na cidade sabe o real motivo do comportamento estranho de Tristan, mas Liz parece não se importar com isso. Há algo de familiar nele, algo que instiga Liz a se aproximar cada vez mais do esquisitão de Meadows Creek.

A obra gira em torno desses dois personagens tão sofridos e tão semelhantes. Tristan também perdeu alguém que amava, aliás, duas pessoas. Jamie e Charlie, sua esposa e seu filho. Desde então ele carrega o peso de viver com a alma morta, de seguir existindo quando já não está mais vivo. Tristan é incompreendido por todos, mas Elizabeth consegue enxergar, em algum lugar, o velho Tristan. O que ainda vive.

Minha opinião:

Apesar do assunto pesado e triste, a autora conseguiu passar toda a história de uma forma leve, mostrando a todo momento a capacidade do ser humano amar de novo, voltar a viver, mesmo ferido, a capacidade de cicatrizar. Principalmente, mostra a sua capacidade de perdoar. “O ar que ele respira” é uma verdadeira lição do que é realmente a vida: dura, difícil, mas sempre capaz de se ajeitar de novo. É um livro emocionante do início ao fim.

 

Comments Closed

1 comentário
  1. Marcela Costa Diz

    Um dos melhores livros da vidaaaaa! Com certeza está no meu top 5 ❤️

Comentários estão fechados.