Textos e resenhas literárias

A minha Ohana

“Ohana quer dizer família. Família quer dizer nunca abandonar ou esquecer.” (Lilo & Stitch)”.

Eu demorei um tempo para compreender o real sentido dessa frase, para sair do mundinho que eu vivia e enxergar mais além. Eu acreditava fielmente que família é composta por: pai, irmãos, tios, primos… Enfim, aquela hierarquia familiar que já conhecemos. Hoje eu acredito que – em alguns casos – eles até sejam a nossa Ohana, mas não necessariamente com exclusividade. É que “Ohana” vai muito além de sangue e genética…

Ohana são aquelas pessoas que te seguram mesmo quando elas não têm mais forças nos braços, que te erguem e te jogam lá pra cima, que estão realmente ali para você sem nenhum tipo de interesse pessoal, que apostam cada ficha em ti, que ficam felizes com cada conquista tua.. São aquelas pessoas que te conhecem com a palma da mão, que te escutam sem julgamentos, que te amam sem limites e que te puxam a orelha sem receios. São aquelas pessoas que são o nosso lar em forma de gente, aquelas pessoas com quem construímos histórias que ficarão para sempre na memória.

Ohana são aquelas pessoas que persistem em nós, que sabem do nosso potencial mesmo quando nós desacreditamos dele. São aquelas pessoas que lembram de ti quando passam por uma loja e olham aquele livro que tu tanto falou bem, são aquelas pessoas que você diz “eu quero ficar sozinha” e elas saem, mas voltam em menos de 5 minutos para saber se você já precisa delas de novo. Ohana são aquelas pessoas que fazem do teu coração ainda mais puro e da tua alma mais bela. As pessoas que nos fazem acreditar no amor nos dias de hoje.

Vai muito mais além de sangue, compreende agora? Tem amigos que sabem ser muito mais família que nossos antecedentes e isso não é pecado, isso não é incorreto… Errado é você permitir que pessoas te afundem, é permitir continuar ao lado de quem não te deseja bem, é permitir que você seja passado para trás por quem você esperou que andasse ao seu lado – sempre.

Hoje em dia muitas pessoas se afastam de seus familiares porque esses, simplesmente, não os fazem bem. Porque esses os carregam cada vez mais para baixo ao invés de ajudar a subir os degraus da vida, esses os desanimam cada vez mais de seus sonhos e desejos, não ofertam amor e não se preocupam com nada a não ser com si mesmos.

E é aí que encontramos a nossa Ohana. Com amigos, com vizinhos, com marido, com namorado, com família de namorado… Não nascemos para viver sozinhos, temos a necessidade de precisar de um ombro amigo vez ou outra, de precisar de um conselho, de precisar de uma sugestão mesmo que seja para saber se você não vai ficar muito dark indo para a festa com uma blusa preta e uma saia preta. Ohana é exatamente isso: são as pessoas que nos oferecem o refúgio desse mundo apenas por nos amar incondicionalmente.

Comments Closed

Comentários estão fechados.